PROFESSORA MARIA JULIA

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

A Era Vargas

A ERA VARGAS


1-A crise social e política que abalou a estabilidade da República Velha (1889 -1930) quebrou a hegemonia das oligarquias no poder e preparou o terreno para a Revolução de 1930 foi motivada pelo(a):
a) aprofundamento das cisões oligárquicas, pelas rebeliões tenentistas, pela insatisfação das classes médias urbanas excluídas da representação política e pela pressão reivindicatória das classes operárias.
b) aliança política entre a burguesia industrial, as classes médias urbanas e o operariado fabril contra o sistema liberal e democrático da República Velha, controlado pelas oligarquias agrárias.
c) quebra do compromisso político entre as oligarquias agrárias e os trabalhadores rurais, o que, durante toda a República Velha, impediu o desenvolvimento dos setores industriais e a organização do movimento operário.
d) fortalecimento da união entre as oligarquias paulistas e mineiras na indicação de Júlio Prestes à sucessão presidencial em 1930, o que desagradou as oposições constituídas pelas classes médias urbanas e operariado, defensores de Getúlio Vargas.
e) descontentamento da burguesia industrial com o tratamento dado pelas oligarquias ao movimento operário - "caso de polícia" - e sua decisão de apoiar a Revolução de 30 e a legislação trabalhista.

2- O governo instalado com a Revolução de 1930 distinguiu-se do Estado Oligárquico por promover:
a) o modelo liberal defendido pelo Partido Democrático, porta-voz da classe média paulista.
b) uma economia exclusivamente agro-exportadora e a descentralização das decisões econômico-financeiras.
c) as reformas preconizadas pelos Tenentes, sobretudo a partir de 1932.
d) a industrialização, tendo como suporte o aparelho do Estado, as forças armadas e a aliança entre burguesia e setores do operariado.
e) o declínio do projeto de industrialização, devido aos conflitos entre capital e trabalho não mediados pelo governo.

3- Sobre o primeiro e o segundo governos do presidente Getúlio Vargas, identifique as proposições verdadeiras e falsas.
( ) Em 1939, o presidente Getúlio Vargas apresenta um plano qüinqüenal, cujas metas serviam de apoio à industrialização: usinas hidrelétricas em Paulo Afonso, estradas de ferro e rodovias, usina de aço e fábrica de aviões.
( ) Aparentemente o Estado Novo foi antioligárquico; entretanto, manteve intacto o sistema de dominação no campo porque os capitais investidos nas indústrias eram originários da acumulação no setor agrícola.
( ) A Constituição de 1937 se caracterizou pelo predomínio do poder legislativo e subordinação do poder executivo ao poder judiciário.
( ) Vargas defendia uma política anti-imperialista e decidiu nacionalizar o petróleo, criando a Petrobrás, através da Lei 2004, de 3 de outubro de 1953, que estabeleceu o monopólio estatal do petróleo.
( ) A Revolução Constitucionalista de 1932, em São Paulo, deu continuidade ao programa proposto pelos tenentes, que participaram da Coluna Prestes.

4- Durante o Estado Novo (1937/1945) governado por Getúlio Vargas, o Brasil criou uma imagem de harmonia entre o povo e o governo e entre as diferentes classes sociais.
Na(s) questão(ões) a seguir julgue os itens e escreva nos parênteses (V) se for verdadeiro ou (F) se for falso.
( ) Foi utilizada a repressão através da violência, dirigida em nível nacional por Felinto Muller, chefe da polícia.
( ) Foi observado o respeito a alguns princípios democráticos como a preservação dos partidos políticos de diferentes ideologias.
( ) Ocorreram concessões de caráter paternalístico e demagógico.
( ) O programa político "A hora do Brasil" foi criado para divulgar o que o governo pretendia e é um exemplo da utilização da propaganda pelo governo.

5- Dentre as causas que levaram ao fim do Estado Novo, instituído por Getúlio Vargas, destacam-se:
a) o atentado da Rua Toneleiros contra o líder de oposição, Carlos Lacerda, que levou Vargas ao suicídio.
b) a insatisfação popular contra Getúlio Vargas, expressa no movimento queremista, e a privatização da Petrobrás.
c) a formação da Aliança Liberal e o Golpe Militar promovido pelo General Góes Monteiro.
d) a aliança entre U.D.N. e militares contra o queremismo e o golpe militar que levou Vargas à renúncia.
e) a recusa de Getúlio Vargas em sancionar a Lei Antitruste, aprovada pelo Congresso e o Golpe dos Tenentes.

6- Tendo em vista o processo de democratização iniciado em 1946 no Brasil, pode-se afirmar que foi o resultado:
a) das pressões populares, especialmente de setores médios, identificados com a idéia de um Estado centralizador;
b) do ambiente internacional pós Segunda Guerra Mundial, favorecendo o aparecimento de períodos de redemocratização oposto às formas autoritárias;
c) da liberdade partidária, da economia de mercado e da industrialização - alguns dos fatores que favoreceram a redemocratização dirigida por Getúlio Vargas;
d) da liberdade de imprensa, da autonomia sindical e das novas alianças políticas (UDN/PTB e PSD/PCB), criando um clima propício para o processo de democratização brasileiro;
e) da reestruturação do Estado através da revisão de sua política industrial, associada à construção de uma capital federal (Brasília).

7-"Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se novamente e se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes. Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade...".

Trecho extraído do(a):
a) Carta Testamento de Vargas
b) Documento Renúncia de Jânio Quadros
c) Discurso de João Goulart já no exílio
d) Documento Renúncia de Fernando Collor
e) Documento Renúncia de Marechal Deodoro

8- Durante a Segunda Guerra Mundial, o Brasil foi governado por:
a) Washington Luís
b) Getúlio Vargas
c) Manuel Eurico Gaspar Dutra
d) Café Filho
e) João Goulart

9- O envolvimento do Brasil na Segunda Guerra Mundial, a seguir dos países aliados, guarda relação com questões internas como a(o):
a) importância crescente dos mercados alemães e japoneses para os produtos brasileiros.
b) mobilização dos grupos de inspiração fascista, como os Integralistas, que apoiavam o Estado Novo.
c) posição dos partidos majoritários no Congresso Nacional, favorável aos aliados.
d) interesse do Brasil em se colocar como líder hegemônico dos países americanos.
e) apoio dos Estados Unidos ao projeto de industrialização, simbolizado na construção da usina de Volta Redonda.

10- Getúlio Vargas governou o Brasil de 1930 a 1945 e de 1951 a 1954. Dentre as alternativas a seguir, assinale aquela que NÃO apresenta uma das instituições criadas por seu governo no primeiro período indicado.
a) DIP - Departamento de Imprensa e Propaganda
b) IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
c) IAA - Instituto do Açúcar e do Álcool
d) SUDENE - Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste
e) MTIC - Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio.
11 - Assita o vídeo sobre a REVOLUÇÃO DE 1930. Este assunto será discutido em sala de aula.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Oriente Médio


1- As dificuldades de construção da paz no Oriente Médio estão ligadas a diversos conflitos históricos que marcaram a convivência dos povos da região ao longo do século XX. Assinale a opção que apresenta corretamente um desses conflitos:

a) Na Palestina, a origem do conflito árabe-israelense remonta à Declaração Balfour (1917) que, ao final da Primeira Guerra Mundial, submeteu esse país à administração inglesa comprometida com a criação do Estado de Israel.
b) No Egito, o protetorado francês sobre a monarquia árabe reinante impediu o golpe de estado liderado por Gamal Nasser, reconhecendo a soberania de Israel sobre o canal de Suez (1956).
c) Em Israel, a Guerra dos Seis Dias (1967) acarretou a perda dos territórios da península do Sinai e da faixa de Gaza para a Coligação Árabe, o que agravou os conflitos na região até a devolução desses territórios pelos acordos de Camp David.
d) No Líbano, a guerra civil (1975), que opôs cristãos, palestinos e muçulmanos, encerrou-se com a invasão jordaniana do território libanês e a divisão do norte do país entre a Síria e a Turquia.
e) No Irã, a revolução liderada pelo aiatolá Khomeini (1979) substituiu a dinastia Pahlevi, aliada política e militarmente à União Soviética, por uma República Islâmica fundamentalista.

"Trocaremos Terra por paz"
(Yitzhak Rabin)


2-A questão palestina envolve árabes e judeus em diversos conflitos e antagonismos, cujas origens históricas remontam, dentre outros fatos, à:
a) subordinação do território palestino à tutela do governo britânico, envolvido com a criação de um Estado nacional judeu, expressa na Declaração Balfour (1917).
b) ocupação militar do território palestino pelo Iraque como resultado da Primeira Guerra Árabe-Israelense (1948-49), que desestabilizou politicamente a região.
c) invasão da Península do Sinai, das colinas de Golam e da Palestina pelo Egito, liderada pelo presidente Nasser, durante a Crise do Canal, como de Suez (1956).
d) imposição da autoridade policial da Organização para a Libertação da Palestina sobre os territórios da Cisjordânia e da faixa de Gaza, como resultado do acordo de paz que encerrou a guerra do Yom Kippur (1973).
e) legalização da ocupação militar e administrativa exercida pela Síria sobre o sul do Líbano e a Palestina, reconhecida pelos Estados Unidos nos acordos de Camp David (1979).

3- Desde o século XIX até os dias atuais, a presença ocidental no mundo islâmico vem assumindo formas diversas, seja na disputa pelo controle do petróleo, na interferência para a criação de um Estado no seio dos territórios árabes, ou mesmo na disseminação de valores e formas de vida estranhos à cultura muçulmana.

O quadro conflituoso daí decorrente é agravado pela coexistência, em um mesmo espaço, de três grandes religiões (judaísmo, cristianismo e islamismo). Esse conjunto de circunstâncias transforma o Oriente Médio e áreas vizinhas em palco de inúmeras tensões que, às vezes, se desdobram em conflitos de repercussão internacional.
À luz dessas idéias,

a) descreva uma situação de tensão ou conflito ocorrida no Oriente Médio e áreas vizinhas, identificando os países diretamente envolvidos e a principal razão dessa tensão ou conflito;
b) analise o papel da religião nos movimentos de reação à presença ocidental no mundo islâmico e o modo como esses movimentos atuam para alcançar seus objetivos.

4- "Subsiste, agora, o dilema. A que Estado pertence Jerusalém? É absolutamente injusto exigir que os palestinos arquem com a responsabilidade de uma decisão, 'até o final de outubro' (de 2000), para 'evitar um banho de sangue'. Jerusalém, patrimônio da humanidade, é um problema da humanidade. Ai de ti, Jerusalém!
(ARBEX JR., José. "Ai de ti, Jerusalém! ", in: Revista "Caros amigos." n. 43, outubro 2000.)

A citação acima apresenta um dos principais elementos relacionados à recente explosão de violência envolvendo israelenses e palestinos no Oriente Médio. A esse respeito, assinale a alternativa INCORRETA.

a) Jerusalém, com seus locais sagrados e mesquitas, é berço das três mais importantes religiões monoteístas - judaísmo, catolicismo e islamismo - ocasionando confrontos e tensões entre Israel e a Autoridade Palestina, liderada por Yasser Arafat.
b) A fundação do novo Estado palestino esbarra no problema de acomodação dos refugiados palestinos na pequena e miserável Faixa de Gaza e na Cisjordânia e na presença de colônias judaicas ainda estabelecidas nos territórios ocupados.
c) A escalada de violência deve ser atribuída à presença de grupos de extrema direita entre os palestinos, causadores do maior número de vítimas, pois os judeus mantêm sua unidade interna, política e religiosa, na busca da paz negociada, liderados pelos ultra-ortodoxos.
d) Entre os antecedentes do conflito, podemos citar a criação do Estado de Israel, em 1948, que gerou a revolta dos países árabes, o envolvimento dos Estados Unidos e da União Soviética com os problemas do Oriente Médio durante a Guerra Fria e as sucessivas disputas militares por territórios na região.

5- Leia atentamente o texto a seguir, de Moacyr Scliar.

"Israel representa uma mudança transcendente na multimilenar trajetória dos judeus. O Holocausto as revelações sobre o massacre de judeus deram dramática legitimidade ao movimento sionista e reivindicação de um território. A fundação de Israel deveria ser decidida pela recém-criada Organização das Nações Unidas. EUA e URSS apoiavam a partilha da Palestina e a criação de dois Estados um árabe, outro judeu.
Com as superpotências coincidindo em seus pontos de vista, não foi difícil para a Assembléia Geral da ONU aprovar, em novembro de 1947, a divisão da Terra Santa. O projeto foi rejeitado pelos representantes dos países árabes. Mas os judeus, liderados por David Ben-Gurion, levaram a proposta adiante. Quase seis meses depois, 14 de maio de 1948, proclamaram a independência. Imediatamente estourou o conflito bélico, vencido pelos israelenses. Outros conflitos vieram, notadamente a Guerra dos Seis Dias. Israel consolidou-se como potência militar. Desde então, travase uma luta amarga e desumana entre israelenses palestinos, que, ao longo dessas décadas, acabaram por forjar uma identidade nacional."

A partilha da Palestina está completando 60 anos. Tendo em vista a partilha e seus impactos, a base para a criação do Estado de Israel foi assentada:

a) na existência de um Estado judaico sob aprovação dos países árabes.
b) na legitimação pela força comprovada pela seqüência de conflitos e guerras.
c) na possibilidade da existência de uma maioria judaica num território.
d) na ideologia sionista, que defendia a entrada dos judeus na Palestina sob domínio inglês.

6- Vídeo sobre Israel X Palestina.